O perfume das Palavras

Julho 20 2008

Lúcia, a camponesa, e o Duende, viajante no tempo

 

 

Personagens:

Narrador

Camponesa, Duende, Fada do Sol

 

Cena 1

 

No jardim da casa da Lúcia.

Narrador – Era uma vez uma menina chamada Lúcia, que era camponesa. Um dia estava a regar o seu jardim quando ouviu uma voz que parecia chamá-la.

 

Duende - Psst, psst.

Lúcia – O que é isto? Parece-me que alguém me está a chamar!

 

Cena 2

 

Narrador – Lúcia foi ver de onde vinha aquela voz até que encontrou um duende atrás de uma árvore.

 

Lúcia – Quem és tu?

Duende – Sou o Duende viajante do tempo da Cidade dos Duendes.

Lúcia – Onde fica essa cidade? É longe daqui?

Duende – Não há tempo para explicações. Preciso que me ajudes. Vem comigo.

 

Cena 3

 

Narrador – Enquanto caminhavam o Duende contou rapidamente a Lúcia que a Fada da Noite fez parar o tempo na Cidade dos Duendes., tendo todos os seus habitantes ficado imobilizados. Como ele era viajante, e se encontrava fora da cidade, escapou ao feitiço da Fada da Noite.

 

Duende – Lúcia, só a Fada do Sol é que nos pode valer e tem de ser um humano a pedir-lhe ajuda.

Lúcia – E onde vive essa Fada do Sol?

Duende – Vive na montanha bem pertinho do sol num palácio dourado e de rubis.

Lúcia – Então vamos até lá.

 

 

Cena 4

 

 

Narrador – Passado um dia chegaram ao palácio. Subiram a escadaria e encontraram a Fada do Sol sentada no seu trono. Lúcia e o Duende fizeram-lhe uma vénia.

 

Lúcia – Bom dia, Majestade. Venho pedir-lhe que nos ajude. A Fada da Noite parou o tempo na Cidade dos Duendes e todos os seus habitantes estão imobilizados.

 

Cena 5

 

Narrador – A fada levantou-se e foi buscar um colar com um pendente em forma de sol feito duma pedra cor de laranja.

 

Fada do Sol – Toma este colar. Quando chegares à Terra dos Duendes dança a Valsa do Tempo e tudo voltará ao normal.

Lúcia – Mas eu não sei dançar a Valsa do Tempo!

Fada do Sol – Descobrirás, Lúcia.

 

Cena 6

Narrador – A Lúcia desceu a escadaria e encontrou o Duende onde a esperava.

Duende – Como é que correu?

Lúcia – A Fada do Sol disse que eu tinha de dançar a Valsa do Tempo com este colar para quebrar o feitiço.

Duende – Lúcia, vem. Eu tenho um portal mágico e chegamos rapidamente à Terra dos Duendes.

 

Cena 7

Narrador – O duende tirou o portal mágico da sua bolsa e num ápice chegaram a um jardim da Terra dos Duendes. Era um espaço lindo onde várias flores faziam um círculo. Correu para o meio e começou a dançar. O colar começou a brilhar, a brilhar e de repente tudo voltou ao normal. O Duende ficou muito agradecido à Lúcia e passou a visitá-la com frequência porque tinha nascido entre eles uma grande amizade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Quel-tea às 16:18

Raquel,

A tua peça de teatro é tão original e está tão bem escrita que numa próxima oportunidade vamos representá-la ... mas queremos público e as entradas não serão grátis!
lena.pires@clix.pt a 22 de Julho de 2008 às 22:15

Porque: "Disseram-me que quem sonha alto o tombo é grande. Mas esqueceram-se de perguntar se eu tenho medo de cair."-Bob Marley " Acreditar é a chave para tornar os sonhos em realidade" NUNCA DEIXE DE SONHAR.
mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
28
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO